Beagá brilha!

Escrevo ainda sob o impacto do ensaio de um dos blocos carnavalescos de Beagá. De alguns anos pra cá, a capital mineira redescobriu seu carnaval. E por que ficou tempos com seu espírito de foliã represado parece que as comportas da alegria inundaram a cidade. Se você é belo-horizontino e não comprou  um tamborim de uns anos pra cá e se juntou a uma das dezenas de baterias pela cidade,  ao menos já ouviu alguma marchinha composta por um músico de BH, tem algum amigo ritmista em um bloco ou uma conhecida que montou uma fantasia mara no último carnaval. O belo-horizontino que ainda não se rendeu ao carnaval de rua, mais dia, menos dia, vai sucumbir.

E a animação carnavalesca de Beagá não é fogo de palha. Passados os quatro dias de folia, o clima ameniza, mas volta a se pensar em carnaval de novo muito antes de fevereiro chegar. Alguns blocos mantêm seus ensaios muitos meses durante o ano pra fazerem bonito nos dias decisivos. E se sabe que essa retomada carnavalesca começou bem ao jeito mineiro, timidamente, como quem não quer nada, os blocos foram se juntando, se fortalecendo e deu na bela festa que deu.

É claro que nem tudo são confetes e serpentinas. Tem sempre o vizinho despeitado que quer furar a bola da turma que caiu no seu quintal. Não é diferente aqui. Tem um grupo desmancha prazer que quer elitizar o carnaval e tenta concorrer com os blocos de rua, organizando as festas fechadas e pagas. Quem quiser que experimente, o direito de escolha existe, mas tá na cara que não tem melhor festa do que aquela em que você se apropria da sua cidade, com samba no pé pela Guaicurus, a Savassi, a Praça da Liberdade, a Praça da Estação.

Os blocos gritam aos quatro ventos que precisam de incentivo, de um som decente, de estrutura pra ensaiar e não se vê quase nenhuma iniciativa do poder público nesse sentido. No entanto, tem muita canetada pra proibir ambulante de vender cerveja em isopor, decidir qual marca você poderá tomar, em que local o bloco pode passar e tal. É tanta restrição que bate um medo de a festa se descaracterizar virando um carnaval grandão bobo.

Mas, vamos acreditar que sempre vai passar nessa avenida o samba popular. E que o carnaval de Beagá será iluminado, como foi o ensaio do Então, brilha de hoje. Que sempre sobre empolgação, simpatia, ritmo, samba no pé. Que o clima permaneça amistoso – hoje alguém esbarrou em mim no ensaio e me pediu desculpas sinceras – que os ambulantes garantam seu troco, que os iniciantes peguem o ritmo da batida do tamborim. Que o morador de rua, o bebum, a dona de casa, o mauricinho, o petralha e o coxinha se divirtam sem moderação.

Que não nos falte lantejoulas e purpurinas. Mas se faltar, que o carnaval de BH brilhe mesmo assim!entao brilha!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s