Meu coração, não sei por que, bate feliz, quanto te vê…

Sem querer fazer intriga, mas já fazendo, em São Paulo, Marisa Monte e Paulinho da Viola tocaram pouco mais de uma hora. Em BH, foi quase o dobro. Paulinho, um poço de timidez, estava perto de soltinho, até sorrindo ao narrar histórias pitorescas de sambistas da Portela.
Marisa Monte, aquela artista perfeita: a gente procura, procura e procura um defeito, mas sem sucesso! Com figurino dama de vermelho, cachos cada vez mais lindos, performática, delicada com a plateia, arrebatou o público quando cantou Carinhoso e logo depois propôs um bis de Pixinguinha, que compôs essa “música que faz a gente sentir tanto orgulho do Brasil”.
Quando você pensa que tá tudo redondinho, vem outras surpresas, como Carnavália, dos Tribalistas (sorry, eu curto), essa ode à festa mais bonita do país: Sinto a batucada se aproximar/Estou ensaiado para te tocar/Repique tocou, o surdo escutou/E o meu corasamborim/Cuíca gemeu/Será que era eu/Quando ela passou por mim…
Pra fechar com chave de ouro, um #ForaTemer bem ao estilo de mineiro, que gosta de falar sem dizer. Sugerida pelo sambista de cabelos brancos, Marisa e Paulinho cantaram Comida: A gente não quer só comida/A gente quer comida, diversão e arte/
A gente não quer só comida/A gente quer saída para qualquer parte.
Enfim, melhor do que a encomenda.
Obrigada, universo!
marisa.png

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s